Publicidade


Seja bem-vindo(a)!

Vídeo traz a sensação de como é viajar na velocidade da luz através do Sistema Solar





Geralmente, quando pensamos em velocidade da luz, logo nos vêm a mente uma viagem ultra rápida, onde podemos ir de um ponto a outro instantaneamente, como vemos nos filmes, uma vez que a luz toma o posto de maior velocidade do Universo e nada pode ultrapassá-la, porém, não é bem assim. A luz do Sol demora, por exemplo, 8 minutos para chegar até nós.


Muitos pensadores, artistas e psicólogos recomendam o exercício de, sempre que possível, tomarmos a dimensão do espaço que ocupamos no Universo. Se a esse exercício somarmos a velocidade real das coisas na imensidão cósmica, o efeito pode ser bastante emocionante. É isso o que acontece ao assistirmos a “Riding Light”, o filme realizado pelo diretor e animador norte-americano Alphonse Swinehart, que mostra uma viagem na velocidade da luz pelo espaço interplanetário.


Mais precisamente, “Riding Light” é a viagem de um fóton de luz, que parte do Sol e dele vai se afastando, em tempo real, por 45 minutos. Ao tour visual são adicionadas constantemente informações sobre a distância em relação ao Sol, o tempo de viagem e o quanto falta até o próximo corpo celeste. Os planetas, por sua vez, desempenham a função de “estações” nessa viagem, e o espectador pode avançar as sequências até chegar à parada seguinte.
A música do filme foi composta por Steve Reich e interpretada por Eighth Blackbird. É importante destacar que o material visual foi baseado em medidas de distância e velocidades. Por isso, quem o observar poderá sentir exatamente o tamanho incalculável do Universo.
 
Veja como é incrível!



Riding Light from Alphonse Swinehart on Vimeo.
Fonte e imagens: GizmodoHistory Channel

mCent Bugs

12 comentários:

  1. Meu isso é incrivel, mesmo a luz sendo a maior velocidade do universo ainda sim em mais de 40 minutos nem sai do nosso sistema solar, nosso universo é mostruoso de grande, nem consigo entender tanta imensidão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A maior velocidade conhecida e compreendida pelo ser humano. Há a possibilidade de existir velocidade maior.

      Excluir
  2. É bom lembrar também que na verdade se estivéssemos viajando a essa velocidade, a viagem pareceria para nos instantânea sim, pois, como postula a teoria da relatividade de Einstein, quanto mais próximo à velocidade da luz um corpo está, mais lentamente o tempo se passa para este referencial. Quando é atingida à velocidade da luz, o tempo para. Logo, a viagem mesmo que num referencial pouco acelerado durasse 10000000 de anos, para o referencial do corpo acelerado à velocidade da luz, a viagem seria instantânea.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Matheus Peres, isso seria a viagem no tempo, mas somente pra frente no tempo.

      Excluir
    2. envelheceríamos instantaneamente?

      Excluir
    3. Se for assim Matheus, as pessoas que pensam como vc mataram a charada, sem contradizer ou "melhorar" os postulados de Eintein, belo exemplo de raciocínio parabéns.

      Excluir
  3. A Luz pode não ser a maior velocidade. Atualmente os cientistas estão de "cabeça quente" com a descoberta de um elemento que se move muito mais rápido que a luz. Mais... Pesquise sobre os "Ajustadores de Pensamentos" e vai se surpreender com os resultados. Sua conclusão será a seguinte; a luz se move em câmera super lenta em relação a Eles... E muito mais...

    ResponderExcluir
  4. O video é em tempo real em comparação ao tempo da Terra.
    Quando mais rápido se vai mais devagar o tempo passa, então se o vídeo fosse rodado com o tempo passando no foton esse vídeo de 45 minutos teria apenas poucos segundos do ponto de vista do viajante.

    ResponderExcluir
  5. Na verdade qndo ele parece teria passado todo o tempo existente do universo, logo o universo teria deixado de existir, logo essa viagem seria desnecessária :T

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caraca que viajem!
      Gostei do comentário, nunca tinha parado para pensar assim, más acho que quando ele parasse o universo ainda existiria sim, só não tenho certeza se o sistema solar ainda existiria.

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.